Precisamos planejar a Belém do futuro e já estamos atrasados. Aproveitemos para faze-lo neste ano de eleições

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Por Ana Maria 

Foto: Cláudio Santos/ Ag. Pará
Local: Belém
Data: 11/03/2011 11:45:00
O bairrismo do belenense é famoso. Achamos Belém linda, aconcegante, acolhedora, charmosa, interessante ... Amamos a nossa cidade mesmo com todos os problemas que enfrentamos para viver nela. Mas, o verdadeiro amor por Belém somente pode aflorar se tivermos a capacidade de perceber o quanto nossa cidade pede socorro para nós mesmos, seus moradores. Belém caminha para o caos. Sem ordenação, sem respeito às leis, sem educação social. Cumpre-nos pensar - agora, já - tanto na Belém de hoje quando na Belém que legaremos para os que virão depois de nós. Este ano de eleições municipais é o momento propício para o debate necessário acerca do futuro da nossa cidade.
Belém merece um futuro melhor do que o que antevemos se continuarmos a viver uma cidade sem planejamento, sem ordem e sem lei.
Belém pede socorro aos seus filhos para retornar ao explendor do passado, quando leis de urbanização eram respeitadas, havia planejamento da ocupação do espaço e a certeza de que se estava construíndo uma grande e bela cidade, a metrópole da Amazônia.
Quais os projetos de cidade do futuro que nos apresentam os que administram e os que pretendem administrar a nossa cidade? Que problemas devemos enfrentar e que soluções são possíveis? A verdade é que temos muitos pontos a decidir em relação a nossa metrópole. 
  • Como vamos solucionar o problema do congestionamento? 
  • É possível termos transporte público de qualidade? 
  • Vamos construir um metrô ou seguiremos o exemplo de Curitiba, com o metrô de superfície (mais rápido e mais barato de construir)?
  • Conseguiremos implantar a coleta seletiva do lixo? Quando?
  • A violência urbana tem meios de ser controlada? Quais sas nossas opções? 
  • A guerra civil travada na periferia terá a atenção do Estado?
  • Conseguiremos a nossa orla, como toda cidade de rio que se preza e respeita seus habitantes?
  • A nossa lei das calçadas será algum dia respeitada?
  • Continuaremos a ser a "cidade das mangueiras" plantadas só no centro da cidade ou os governantes entenderão de uma vez por todas que faltam espaços verdes na periferia de Belém (e no centro, também)? 
  • Como manteremos limpa a Cidade Velha? E a João Alfredo e demais ruas do que no passado era chamado de "Belo Centro"?
  • O Palacete Pinho foi restaurado para nao servir para nada? Ninguém na Prefeitura tem ideias sobre como aproveitar o valioso espaço de forma a dar-lhe a importancia que tem como patrimonio histórico de Belém? Eu tenho muitas ideias. Posso ajudar.
  • Conseguiremos fazer os políticos entenderem que precisamos de obras e soluções simples, que possam ser construidas com menos recursos e em menor tempo? 
  • Quando o governo estadual dará ao Utinga o imensurável valor que ele tem? Ideias simples de melhor aproveitamento do espaço podem ser implatadas lá em curto tempo, mas parece que o governo optou por um mega projeto que sabe-se lá quando ficará pronto e a custo de quantos milhões de dinheiro público. 
Enfim, há muitos outros questionamentos. Cabe a nós, belenenses de nascimento ou de coração tomar as rédeas e decidir pela construção de um futuro para Belém que seja compatível com o passado da bela cidade. 

      2 comentários:

      Blog do Prof. Carlão Redação disse...

      Ana, meu anjo! Gostei demais do teu texto, pois retrata o cenário de nossa Belém. Teus questionamento irei colocá-los ao sabor dos meus alunos pré-vestibulandos para que eles respondam e, logo em seguida, enviarei o resumo para você! Beijos!!!!!!!!

      Ana Maria disse...

      Obrigada, Carlos. Seu elogio é precioso para mim. Quando eu nao tinha o blog e lia em jornais ou mesmo blogs algum texto com palavras grafadas de forma erradas, ou palavras fora do contexto, logo pensava que a pessoa escrevia mal, que o revisor nao sabia de nada. Agora que escrevo, vejo o quanto é dificil pois sem querer erramos, trocamos uma frase e esquecemos de apagar uma palavra que fica "solta", etc. Reviso e reviso e ainda encontro mil erros. Já me acostumei e deixei de criticar os outros. Serviu para isso. Hoje sou humilde nesse aspecto.

      Postar um comentário

       

      Posts Comments

      ©2006-2010 ·TNB